Governo Acompanha Avaliação do ´Criança Feliz´ em Tocantinópolis

Data do post: 02/12/2019 15:57:47 - Visualizações: 384

Setas-TO O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas), realiza, nos dias 4 e 5, uma visita técnica ao município de Tocantinópolis. O objetivo é apoiar a consultora da UNESCO, Gildene Carvalho, na avaliação das ações e qualidade das visitas desenvolvidas pelo Programa no município.

“A consultoria da Unesco vai analisar a execução do Criança Feliz no Tocantins. A escolha de Tocantinópolis se deu porque o município é de porte II, que são aqueles que têm entre 20 e 50 mil habitantes”, afirmou a coordenadora Estadual do Programa (PCF) da Setas, Katilvania Guedes.

Visita

O Governo, por meio da Setas, realiza, regularmente, visitas para monitoramento das ações do ´Criança Feliz´ nos municípios que executam o programa. Em novembro o monitoramento foi feito nos municípios de: Silvanópolis, Pindorama, Sítio Novo, São Bento, Axixá, Ananás, Peixe, Alvorada, Dueré, Figueirópolis, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins, Lagoa do Tocantins, Rio Sono, Palmeiras, Wanderlândia, Aguiarnópolis, Riachinho e Nazaré.

Setas-TO Desde que o Tocantins aderiu ao Programa em 2016, foram realizadas mais de 20 mil visitas domiciliares no estado. Atualmente, cerca de seis mil crianças e gestantes são acompanhadas pelo ´Criança Feliz´, em mais de cinco mil visitas. No total, 51 municípios tocantinenses desenvolvem o Programa. 

Criança Feliz

É uma iniciativa do Governo Federal para ampliar a rede de atenção e o cuidado integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. O PCF se desenvolve por meio de visitas domiciliares com a finalidade de promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, buscando envolver ações de saúde, educação, assistência social, cultura e direitos humanos.

O programa leva orientações sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos inseridas no Cadastro Único para programas sociais do governo federal e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).



Fonte: Setas-TO