TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

Idoso Condenado Por Estupro Cometido há 16 Anos é Preso Pela Polícia Civil

Data do post: 03/12/2019 21:26:14 - Visualizações: (435) Imprimir

Secretaria de Segurança Pública-TO Na tarde desta terça-feira, 3, a Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 69ª Delegacia de Policia de Tocantínia, com apoio do Núcleo de Atendimento de Rio Sono, deu cumprimento a mandado de prisão decorrente de sentença condenatória definitiva em desfavor de um idoso de iniciais G.P.S, de 70 anos, pela prática do crime de estupro de vulnerável.

De acordo com o delegado Gustavo Henrique da Silva Andrade, responsável pelo caso, o crime ocorreu em 2003 quando o indivíduo abusou sexualmente de uma adolescente de 13 anos de idade que era criada por ele e sua companheira como filha. Na época dos fatos, a Polícia Civil efetuou as investigações as quais indicaram que o idoso era o responsável pelo crime.

Diante dos fatos, após esgotarem todos os recursos, o acórdão condenatória foi proferido, sendo que G.P.S foi condenado a uma pena de reclusão de 11 anos. No entanto, o homem permanecia foragido até a data de hoje, quando foi localizado e preso pela equipe de policiais civis comandada pelo delegado Gustavo Henrique, quando se encontrava na cidade de Rio Sono.

Após a realização das providências legais cabíveis, G.P.S foi colocado a disposição do sistema prisional do Estado e recolhido à Cadeia Pública de Miracema do Tocantins a fim de que de início ao cumprimento da pena a qual foi condenado.

A Polícia Civil reafirma o compromisso com a sociedade tocantinense no combate aos crimes contra a dignidade sexual e à criminalidade em geral.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública-TO

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.