TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

Governo do Tocantins Inicia Procedimentos Para Implantação do Curso de Medicina na Unitins em Augustinópolis

Data do post: 25/06/2020 15:29:31 - Visualizações: (521) Imprimir

Governo do TocantinsA região do Bico do Papagaio, extremo norte do Tocantins, em breve deve contar com o curso de Medicina totalmente gratuito. O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, determinou ao reitor da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), professor Augusto Rezende, a realização de estudos e processos necessários para a implantação do curso de Medicina no Câmpus de Augustinópolis. A intenção do governador é que as adequações necessárias e os procedimentos legais sejam realizados com celeridade para que os cursos sejam uma realidade na instituição o mais breve possível.

Em atendimento à determinação, o reitor apresentou um estudo preliminar ao Conselho Universitário (Consuni), instância máxima, colegiada e deliberativa da Unitins, que autorizou o andamento do processo e já instituiu a equipe responsável pelo trabalho de estudo, análise e manifestação final para que o curso já tenha vagas ofertadas no próximo vestibular, com as aulas iniciando em fevereiro de 2021. A Portaria que institui o Grupo de Trabalho será publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 24. Também está instituída a equipe responsável pela implantação do curso de Pedagogia no Câmpus da Unitins em Palmas, atendendo à previsão de expansão da Universidade no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

“A Universidade Estadual do Tocantins tem uma função muito importante na formação da nossa população. O nosso estado precisa formar profissionais para atuarem aqui, na prestação de serviço e no atendimento ao nosso povo. O curso de Medicina é uma necessidade que a rede pública de saúde tem e é preciso que façamos esse trabalho, de dar oportunidade aos nossos estudantes com o objetivo de, num futuro próximo, eles trabalharem aqui atendendo a nossa população”, ressalta o governador Mauro Carlesse.

O Chefe do Poder Executivo completa que o planejamento visa que o recurso investido na implantação dos dois cursos e na formação desses profissionais, médicos e pedagogos, tenha retorno com a prestação de serviço à população tocantinense nas áreas de saúde e educação. O governador Mauro Carlesse destaca também o desenvolvimento econômico e social que o curso de Medicina proporcionará para a região do Bico do Papagaio, com reflexo direto na saúde pública e na vida das pessoas.

A Unitins já atua na área da saúde com o curso de graduação em Enfermagem ofertado no Câmpus Augustinópolis, de modo que a implantação do curso de Medicina trata-se de uma ampliação dessa atuação na área. O projeto prevê o compartilhamento e a ampliação da estrutura laboratorial e de parte do corpo docente entre o curso de Enfermagem e Medicina, considerando que são áreas afins, como estratégia de melhor aproveitamento dos recursos que serão empregados.

De acordo com o reitor Augusto Rezende, o pré-projeto de implantação do curso de Medicina considera as políticas públicas de saúde do Governo Federal, do Governo Estadual e de municípios, de modo que esses entes sejam parceiros na formação acadêmica e profissional dos futuros médicos, abrindo campo de estágio, internato e residência médica.

“O Governador pontuou a preocupação de que essa mão de obra a ser formada pela Universidade Estadual seja retida no Tocantins, principalmente dos médicos. Para isso, precisamos criar possibilidades desses alunos e futuros profissionais criarem raízes na rede de saúde daqui, principalmente na rede pública, estabelecerem vínculos e relações profissionais no Estado, para que depois de formados tenham plenas condições de continuar atuando no Tocantins, com boa remuneração e condições de trabalho. Assim, eles terão interesse em permanecer aqui e teremos atendimento da mão de obra formada por nós”, destaca o reitor.

Para a implantação do curso de Medicina no Câmpus de Augustinópolis, a Unitins já dispõe de R$ 2,5 milhões via emendas parlamentares destinadas pelos deputados estaduais: Eduardo Siqueira Campos, Fabion Gomes, Amélio Cayres, Jair Farias e Ricardo Ayres, sendo que cada um empenhou R$ 500 mil para viabilizar a estruturação do curso e do câmpus.

O reitor Augusto Rezende acrescenta que a Universidade Estadual do Tocantins tem plenas condições de ofertar os cursos de Medicina e Pedagogia. “São 30 anos de história e experiência na formação superior. Estamos no mesmo patamar que outras universidades no Tocantins [conforme o MEC pela nota no Índice Geral de Cursos] e trabalhamos para atender a determinação do Governador. A implantação dos dois cursos é uma meta institucional, será uma conquista imensurável para a universidade”, destaca.

A Unitins possui, hoje, 67% de professores mestres e doutores. Com a realização do processo seletivo simplificado para contratação de docentes no início de 2019, a Universidade Estadual registrou redução de 23% no número de contratados. “Além da economicidade, conseguimos um ganho qualitativo para a Unitins”, conclui o reitor, enfatizando a capacidade administrativa da instituição de alcançar resultados de excelência com otimização de recursos.

Cabe ressaltar que o decreto presidencial que proíbe a criação de novos cursos de Medicina e ampliação de vagas nos cursos já existentes restringe-se às instituições de ensino federais ou privadas. A Unitins é vinculada ao sistema estadual de ensino e, por isso, não tem nenhum impedimento legal para a criação dos cursos”, enfatiza o reitor Augusto Rezende.

Medicina nas universidades estaduais

Segundo dados levantados pela Unitins considerando o Censo 2018, ao todo são 33 cursos de Medicina ofertados no país por universidades estaduais. Na região Norte do país, de acordo com o portal Escolas Médicas do Brasil, apenas três estados contam com o curso nas instituições públicas estaduais: Amazonas, Roraima e Pará.

Fonte: Governo do Tocantins

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.