TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

Polícia Civil do Tocantins Prende Segundo Suspeito do Latrocínio de Leidiene Pacheco da Silva

Data do post: 02/07/2020 20:51:56 - Visualizações: (556) Imprimir

Secretaria de Segurança Pública-TOCrime caracterizado como latrocínio ocorreu em setembro de 2018.  Investigações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas levaram ao homem apontado como autor do crime.

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 1ª Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (1ª DHPP – Palmas), efetuou na madrugada desta quinta-feira, 2, no município de Confresa, no estado do Mato Grosso, a prisão do segundo envolvido no crime de latrocínio (roubo seguido de morte) praticado contra Leidiene Pacheco da Silva em setembro de 2018, no Jardim Aureny III, região sul de Palmas.

O homem, de 21 anos, foi preso mediante cumprimento de mandado de prisão temporária, por duas equipes da 1ª DHPP de Palmas que se deslocaram até Mato Grosso e por agentes da Polícia Civil mato-grossense. Depois de passar pelos exames legais cabíveis, ele foi recolhido na unidade prisional da cidade de Porto Alegre, em Mato Grosso e, posteriormente, será recambiado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

 1ª Prisão

A prisão do primeiro envolvido apontado como suposto autor do crime ocorreu no dia 21 de maio com o cumprimento de mandado de prisão temporário tendo sido cumprido pela 1ª DHPP de Palmas na residência no setor Jardim Taquari. Na oportunidade, o homem foi ouvido e encaminhado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

O delegado-chefe da 1ª DHPP, Guido Camilo, explicou que com as prisões realizadas, a Divisão concluirá o inquérito e o enviará para o Poder Judiciário. O Delegado afirmou que a conclusão deste caso é uma satisfação, pois Leidiene era uma pessoa do bem, mãe de família e que a Polícia Civil do Tocantins trabalhou incessantemente para dar a devida solução ao caso e, assim, uma satisfação à família e à sociedade.

Guido Camilo também agradeceu o apoio das equipes da 1º DHPP de Palmas, que não mediram esforços na investigação do caso e no apoio da Polícia Civil do Mato Grosso. Ele ressaltou também que crimes de homicídio e latrocínio são complexos e levam tempo para serem solucionados, a exemplo do próprio caso da Leidiene. “A Polícia não tinha muitos elementos investigativos. Tivemos que trabalhar com confronto de dados e análises para chegar ao suposto autor e posteriormente ao segundo envolvido no crime”, explicou o Delegado.

O crime

O crime ocorreu no dia 24 de setembro de 2018. A vítima conduzia uma motocicleta em uma rotatória do Jardim Aureny III, região sul de Palmas, quando foi assaltada e morta a tiros. Na época, as testemunhas disseram à Polícia que a vítima passava por uma rotatória e ao diminuir a velocidade foi abordada pelos bandidos, que queriam a bolsa e o celular da vítima. Ao tentar fugir e escapar do assalto, a mulher foi atingida pelos disparos de arma de fogo e morreu antes mesmo da chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu chegar ao local.

Leidiene Pacheco na época tinha 35, era diarista e deixou três filhos.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública-TO

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.