Tocantinópolis - TO
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

Filha da Vereadora Nalva Veras de Porto Franco (MA) Recebeu Três Parcelas do Auxilio Emergencial do Governo Federal

Data do post: 09/08/2020 09:31:42 Imprimir -  Compartilhar

Foto Reprodução Apesar de ter renda mensal que ultrapassa R$ 11 Mil Reais, e ter declarado bens no valor de R$ 139.890,00 na ultima eleição municipal, a vereadora Nalva Veras da Silva Morais conhecida como Professora Nalva, tem uma filha de nome Amanda da Silva Morais que recebeu até o fechamento desta, R$ 1.800,00 (Mil e oitocentos reais) através de três parcelas do auxílio emergencial criado pelo Governo Federal.  

O Auxílio emergencial foi criado pela Lei de nº 13.982/2020 que prevê o repasse de 600 reais mensais a trabalhadores informais e de baixa renda, microempreendedores individuais e também contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social, situação que Amanda da Silva Morais, filha da vereadora de Porto Franco certamente não se enquadra, haja visto que a mesma ainda mora com a mãe e é dependente da mesma.

Além de vereadora no município com salário mensal de R$ 7.596,67 (Sete mil, quinhentos e noventa e seis reais e sessenta e sete centavos), Nalva também é professora concursada do Estado do Maranhão, o que lhe garante uma OUTRA boa renda de R$ 3.540,27 (Três mil, quinhentos e quarenta reais e vinte e sete centavos). No fechamento do mês, a camarista/professora perfaz uma renda de R$ 11.136,94 (Onze mil, cento e trinta e seis reais e noventa e quatro centavos).

O caso virou polêmica nas redes sociais, onde para se defender, a camarista emitiu uma nota de esclarecimento citando que as postagens envolvendo o nome dela e de sua filha seria irresponsável e criminosa com intuito de lhe atingir politicamente. A vereadora disse ainda que sua filha é maior de idade, não tem renda e que não seria sua dependente, mais que a mesma ainda mora em sua casa. Tentando se explicar Nalva disse que é uma das pessoas que ajudam “pagando impostos” a custear projetos sociais no país. “Na minha casa a única renda existente é a minha, vivo uma vida simples, de acordo com o que eu ganho”. Explicou a vereadora que a partir desta fala na nota, passou a atacar a atual gestão municipal para desviar o foco que seria o recebimento indevido de sua filha que como dito na nota, ainda mora com ela.

A filha da vereadora não tem emprego, ela não teria direito?

Foto ReproduçãoPara saber se a pessoa tem direito ao auxílio emergencial, basta verificar a renda mensal da família que ela pertence e no caso, ter renda inferior a R$ 3.135,00 (Três mil, cento e trinta e cinco reais), o quê, segundo os cálculos, só a mãe da Amanda Morais recebe três vezes mais do que o que diz a regra.

Com certeza o Governo Federal não acompanha essas picuinhas de redes sociais, principalmente da cidade de Porto Franco, que são muitas, caberá há alguém denunciar o fato para o Ministério da Cidadania, onde a Ouvidoria é o canal para o registro de denúncias de recebimento indevido de benefícios. As denúncias também podem ser feitas pelo telefone 0800 707 2003 (opção 5) ou por formulário eletrônico.

Fonte: Redação do Tocnoticias