TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

Polícia Civil Apreende Aparelho Celular De Homem Suspeito De Divulgar Vídeo Íntimo De Adolescente Em Itacajá

Data do post: 29/11/2020 20:25:54  Imprimir

Secretaria de Segurança PúblicaCaso passou a ser investigado após a vítima registrar Boletim de Ocorrência na DP de Itacajá.

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 51ª Delegacia de Itacajá cumpriu na manhã desta sexta-feira, 27, mandado de busca e apreensão na residência de um indivíduo suspeito de publicar vídeo íntimo da ex-namorada, uma adolescente. Na ocasião, os policiais civis coordenados pelo delegado Andreson Alves, localizaram e apreenderam um aparelho de telefone celular de propriedade do homem, de 19 anos, e que teria sido utilizado para a divulgação do vídeo.

Conforme explica a autoridade policial, as investigações em torno do fato começaram logo após a vítima registrar um Boletim de Ocorrência relatando que o ex-namorado havia publicado vídeo íntimo, depois do término do relacionamento. Diante dos fatos, o Delegado representou, junto ao Poder Judiciário por mandado de busca e apreensão na residência do autor. Com o deferimento da ordem judicial, os policiais foram até o local e efetuaram a apreensão do aparelho celular do autor.

Desse modo, o suspeito foi conduzido até a sede da 51ª DP, onde foi questionado acerca dos fatos e acabou confessando que publicou o vídeo íntimo, o qual fora gravado quando estava namorando com a vítima. Com o aprofundamento das investigações, os policiais civis acabaram encontrando o referido vídeo no aparelho celular apreendido.

Diante das evidências, o delegado ressalta que as investigações serão intensificadas e que o indivíduo será indiciado formalmente pela prática do crime previsto no Artigo 241-A, da Lei 8.069/90, do Estatuto da Criança e do Adolescente que tipifica a conduta de disponibilizar, transmitir ou divulgar vídeos ou fotografias contendo pornografia envolvendo criança ou adolescente.

Na oportunidade, o delegado Andreson Alves alerta quanto às consequências do crime, em tese, praticado, já que a pena máxima pode chegar a seis anos de prisão. “É importante que as pessoas que forem vítimas desse tipo de crime procurem a Delegacia de Polícia Civil mais próxima de sua residência e faça o registro da ocorrência, pois assim e possível dar início às investigações, identificando o autor ou autores para que os mesmos respondam judicialmente por seus atos, conforme determina a legislação vigente”, frisou a autoridade policial.

 

Fonte: Secretaria de Segurança Pública

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.