TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

“Polícia Civil vai à escola” Reúne Centenas de Alunos na região Sul de Palmas

Data do post: 11/08/2019 00:26:51 - Visualizações: (701) Imprimir

Ascom/SSP-TOApós lançamento do projeto na região Central da Capital, palestras e stands da Polícia Civil chegam ao Colégio Santa Rita de Cássia.

Com o objetivo de contribuir com a formação cidadã de alunos, discutir sobre o tema segurança e debater a importância da participação de todos no combate as drogas e a violência, o Projeto “Polícia Civil vai à escola - Ressignificando caminhos com segurança”, realizou mais uma ação,  nesta sexta-feira, 9, desta vez no Centro de Ensino Médio Santa Rita de Cássia, no Aureny I, em Palmas. Essa é a segunda ação do projeto lançado no Centro de Ensino Médio Tiradentes, na quadra 806 Sul, no último dia 1°.

O Projeto é coordenado pela Diretoria da Escola Superior de Polícia Civil (ESPOL) e Diretoria de Políticas de Segurança da Secretaria de Estado da Segurança Pública, com apoio  de unidades da Polícia Civil e Científica do Estado, especialmente: Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos (Denarc),  Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) e Institutos de Criminalística, Médico-Legal e de Identificação, que também apresentaram estandes no local.

A edição do Projeto foi aberta pelo delegado-geral da Polícia Civil, Rossílio de Souza Correia, para ele, é necessário conscientizar os jovens sobre a importância da educação para o seu crescimento pessoal e profissional, assim como entender o papel da Polícia Civil em suas vidas: "Hoje pudemos estreitar os laços com a comunidade escolar da região Sul da Capital e mostrar que a Polícia Civil está a sua disposição e à da sociedade como um todo. O melhor caminho a seguir é este, o da educação e o do afastamento das drogas", frisou o chefe da Polícia Civil no Tocantins.

Ascom/SSP-TONa prática, o Projeto acontece após uma avaliação das necessidades da Escola demandante. A partir dessas evidências, as equipes da coordenação do projeto buscam as unidades policiais parceiras para falar sobre o tema e montam uma programação de palestras. As palestras desta sexta-feira 9 abordaram temas como: cyberbulling, crimes cibernéticos, drogas e seus efeitos e saúde mental, por exemplo.

“O mais interessante é eles conhecerem o que cada departamento da Segurança Sublica faz, os projetos do IML, GOTE, Identificação entre outros. É muito gratificante e a Espol acredita que, com a educação, a gente vai ressignificando os caminhos de segurança desse cidadão.  Nosso maior objetivo é levar eventos e palestras de vários temas a toda comunidade escolar e contribuir com a formação dos alunos. Primeiro, discutimos com a diretoria das escolas quais os gargalos que existem naquela localidade e depois disso a gente monta as palestras em cima de cada unidade escolar” destacou a diretora da Escola Superior de Polícia Civil, Ludmila Cesarino.

O aluno Isaac Souza, 17 anos, disse nunca ter participado de projetos como esse e falou sobre sua satisfação. “O projeto foi muito bom e veio para alertar aos alunos, oferecer conhecimento dos riscos e passar informações sobre as causas que levam ao uso das drogas. Alguns colegas estão aprendendo muito, que não sabiam sobre o risco do uso das drogas”.

Ascom/SSP-TOA diretora do Centro de Ensino, Nilva de Almeida Santos, revelou que os alunos se sentiram lisonjeados com a presença da Polícia Civil. “Estou aqui há muito tempo e nunca passamos por uma experiência dessa tão próxima e com esse material todo. A Escola fica feliz porque entendemos que muitas problemáticas da sociedade vêm para dentro da escola, por isso a escola precisa alertar os alunos sobre essa realidade, para que eles estejam mais preparados para enfrentar e se sair bem nessa situação. A escola não pode atuar de forma isolada, essa parceria foi uma ideia genial”.

“Apresentamos as drogas e falamos sobre o uso abusivo das drogas lícitas e ilícitas, os riscos que causam à saúde, a relação da droga e a violência. O jovem naturalmente é curioso e temos observado bastante aceitação dos jovens para assistirem às palestras. Eles têm a curiosidade de saber, mas as vezes não encontram em casa as respostas ou o conhecimento necessário para tirar as dúvidas. É importante tentarmos nos antecipar a essa situação de uso, ao traficante, por que prevenir sempre é a melhor forma, é mais fácil trabalhar com a prevenção do que com a repreensão” disse o escrivão de polícia Geovane Menezes, palestrante do Projeto.

Multiplicar conhecimento

Uma aluna bastante atenta às palestras, disse lamentar  já ter perdido familiares para as drogas, por isso pretende multiplicar o conhecimento adquirido na ação e ajudar outras pessoas.

“Achei importante essa ação, porque incentivam os alunos a ser melhores, a estudar e não mexer com drogas. Quero levar o conhecimento para outras pessoas,  porque já perdi familiares que mexeram com drogas e pretendo alertar outras pessoas” disse a aluna Renir Fabiane Cravalho.

O Policia Civil Vai à Escola compõe ainda a política de promoção da Cultura de Paz preconizada no Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social - PESSE lançado em 25 de junho pelos órgãos de Segurança Pública e Defesa Social do Tocantins e busca atingir cerca de 4 mil alunos da rede pública de ensino até o final de 2019.

Fonte: Camilla Negre/ Governo do Tocantins

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.