TOCANTINÓPOLIS:
Facebook Youtube Twitter
Siga-nos:

MPTO Requer Informações Sobre Interrupção no Abastecimento de Água em Arraias

Data do post: 13/08/2019 10:11:55 - Visualizações: (235) Imprimir

Ministério Público Estadual O Ministério Público do Tocantins (MPTO) requereu, nesta segunda-feira, 12, informações à empresa BRK Ambiental sobre a interrupção abrupta no abastecimento de água na cidade de Arraias, localizada no Sudeste do Estado. Desde o último sábado, 10, o fornecimento encontra-se interrompido.

Em ofício à empresa responsável pelo fornecimento de água, o promotor de Justiça João Neumann Marinho Nóbrega, da Comarca de Arraias, requer que, em 24 horas, sejam prestados esclarecimentos sobre o motivo da interrupção e a data provável para o restabelecimento do serviço, bem como que seja informado se existe indicativo de racionamento de água e quais eventuais medidas alternativas poderão ser adotadas para amenizar o problema da falta de água e garantir manutenção do fornecimento no ano de 2019.

Atuação anterior

A Promotoria de Justiça de Arraias já vem atuando quanto à defesa do abastecimento regular de água no município, tendo ajuizado, em julho de 2016, uma Ação Civil Pública que pede que seja imposta à empresa uma série de providências, incluindo-se a obrigação de construir um reservatório adequado ao abastecimento de água, com capacidade suficiente para um serviço eficiente, seguro e contínuo.

A empresa não tem reservatório de distribuição de água em Arraias, sendo o seu sistema de abastecimento constituído por uma captação superficial proveniente do rio Dois Irmãos. No período de estiagem, quando esse rio fica praticamente seco, a captação muda para o Rio Alazão. A ACP ainda não foi julgada.

Fonte: Ministério Público Estadual

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.