TOCANTINÓPOLIS:
Facebook Youtube Twitter
Siga-nos:

Em Tocantinópolis, Homem Finge Comprar Carro, Pede Para Experimentar, e Foge da Cidade com a Mulher e os 4 Filhos Pequenos

Data do post: 22/09/2019 20:17:51 - Visualizações: (10754) Imprimir

Foto DivulgaçãoOcorrência foi registrada neste Sábado (21), quando o proprietário do veículo, Sr. Uelio Veloso da Silva, procurou a delegacia de polícia em Tocantinópolis para comunicar que a pessoa de nome José Soares da Silva de 34 anos, lhe procurou na intenção de comprar o seu carro, um Fiat Siena EL Flex de cor Azul e placas: MXG 1264 de Tocantinópolis-TO, ano 2010 modelo 2011.

Uelio contou que conheceu José Soares quando o mesmo estava trabalhando numa chácara ao lado da sua no Povoado Ribeirãozinho na Zona Rural de Tocantinópolis, e em conversa casual, Uelio relatou que estava com intenção de vender o Siena, momento este que Soares se mostrou interessado em comprar sob a alegação de que estaria esperando entrar um dinheiro em sua conta que daria para comprar o referido veículo.

Neste Sábado (21), José Soares procurou o dono do Siena e disse que queria fazer uma espécie de Teste Driver, indicando o endereço que o mesmo morava na cidade de Tocantinópolis, e sendo assim Uelio aceitou, momento este que o meliante que já tem passagem pela Cadeia Pública de Tocantinópolis depois de ser preso com uma motocicleta roubada, foi até a residência onde ele morava de favor com a esposa que está grávida com quem tem outros 04 filhos pequenos, jogou o máximo de objetos que haviam na casa dentro do veículo, e sumiu tomando rumo até agora ignorado.

Depois de tanto esperar o dono do carro resolveu ir atrás, encontrando a residência onde José Soares estava morando, achando apenas a casa praticamente vazia, no qual pelas marcas, o autor do crime estacionou o veículo na lateral da casa para que os vizinhos não percebessem que eles estavam indo embora.

Vida Pregressa

José Soares da Silva passou alguns meses preso na Casa de Prisão Provisória de Tocantinópolis pelo crime de apropriação indébita, quando ele foi preso no dia 19 de Abril deste ano de 2019 na BR-226 pela Polícia Rodoviária Federal, próximo a cidade de Darcinópolis-TO, numa motocicleta roubada, na ocasião do flagrante, José estava sem os documentos pessoais e para os agentes da PRF apresentou o nome falso de Antonio Adriano Pereira da Silva.

Foto DivulgaçãoNa época, o acusado alegou que não havia furtado a motocicleta Honda Fan CG 160 de placa QKI-7468 que constava no sistema com "Furto e Roubo", mas, que estaria usando a motocicleta porque havia tomado emprestado de uma outra pessoa. Com Soares os agentes da lei ainda acharam três aparelhos celulares e uma arma branca tipo faca, e que ao levar o mesmo para o Posto da Polícia Rodoviária Federal em Palmeiras do Tocantins, compareceu naquele local o Sr. Jadson Bispo dos Santos informando que era o proprietário da motocicleta, mas, que tinha emprestado para José Soares buscar um dinheiro que lhe devia e que este havia sumido, por isso havia registrado furto/roubo assumindo também ser dono de um dos aparelhos celulares encontrado com o acusado. Outro aparelho celular Multilaser de cor preta Soares alegou ser proprietário, porém, o terceiro aparelho Sansung Galaxy J7 de Cor Dourada, a polícia conseguiu localizar o verdadeiro dono, sendo este o nacional José da Costa dos Santos, que afirmou ter sido vítima de assalto na cidade de Arapoema um dia antes da prisão de Soares, e que o assaltante estava numa motocicleta com as mesmas características da que foi apreendida com Soares.

Para os agentes da PRF, o proprietário da motocicleta flagrada com Soares contou uma história, porém, na delegacia contou a versão de que José havia se interessado pela motocicleta e que disse que a compraria pelo valor de oito mil reais, e que também se interessava em ficar com o seu celular pelo valor de R$ 900,00, pegando a motocicleta e o celular e  saindo da cidade. Como a motocicleta tinha um rastreador, Jadson Bispo percebeu que a mesma não se  encontrava mais na em Arapoema, sendo assim, ele informou o furto da moto, e posteriormente a mesma foi rastreada próxima de Palmeiras do Tocantins, momento este que Jadson acionou a PRF que conseguiu localizar o veículo.

José Soares então foi preso e encarcerado na CPP de Tocantinópolis e logo em seguida sua esposa com quem tem 4 filhos pequenos e está grávida, se deslocou para a cidade onde o marido estava encarcerado, onde ficava com as crianças nas proximidades da cadeia pública, sendo alimentados pelas comidas que sobravam dos detentos, até que uma pessoa de bom coração lhe cedeu uma casa na Vila Tibério Azevedo, onde a companheira do acusado passou a morar e viver de doações de várias pessoas que se sensibilizaram por causa da situação das crianças.

Doações chegavam a todo momento, roupas, cestas básicas, utensílios domésticos, muita coisa foi doada para a família, até que depois de alguns meses preso, a polícia conseguiu identificar o nome verdadeiro de Antonio Adriano Pereira da Silva que é José Soares da Silva, e assim, a justiça concedeu liberdade para o acusado através de uma carta precatória de Citação e Alvará de Soltura expedida pela juíza Wanessa Lorena Martins de Sousa Motta da comarca de Wanderlândia-TO, no qual foi cumprida a soltura no dia 16 de Agosto de 2019 às 11h30min, e como a magistrada concedeu liberdade sob as condições de que  José Soares não poderia mudar de residência, sem prévia permissão da autoridade processante, ou ausentar-se de sua residência, sem comunicar àquela autoridade o lugar onde será encontrado, sob pena de revogação da liberdade, Soares ficou em  Tocantinópolis morando na mesma casa cedida e trabalhando de bico.

A polícia pede a quem ver o veículo com as características citadas na reportagem que acionem as autoridades policiais, lembrando ainda que uma das características de José Soares é uma imperfeição em uma das mãos, o que facilita na hora de identificá-lo.  

Fonte: Redação do Tocnoticias

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.