Banco Restituirá ao Consumidor Valor Pago Por Carro com Documentação que Omitia Sinistro

Data do post: 10/11/2017 18:36:51 - Visualizações: (234)    Imprimir

Um comerciante de Palmas irá receber do Banco Volkswagen, integral e corrigido, o valor pago por um veículo arrematado em leilão, que continha restrição de sinistro. A informação foi  omitida pelo edital do leilão, organizado pelo banco.

Tribunal de Justiça-TOA sentença, desta sexta-feira (10/11), é do juiz Manuel de Faria Reis Neto em auxílio ao Núcleo de Apoio às Comarcas (Nacom) e condena o banco a restituir a quantia de R$ 11.755,00, acrescido de correção monetária pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e juros de mora de 1% ao mês, ambos contados a partir do dia 21 de outubro de 2010, data em que o veículo foi comprado.

Conforme o processo, em leilão promovido no dia 21 de outubro de 2010, o consumidor comprou um Peugeot/206 selection, ano 2002/2003, pelo valor de R$ 9,2 mil, incluindo o lance principal e as comissões de corretagem e de arrematação.

Ele aponta na ação, que o edital do leilão continha a observação “nada consta/vistoria aprovada” indicando que o veículo não teria qualquer restrição. Contudo, ao levar o veículo para manutenção verificou a restrição “Sinistro/Recuperado” na documentação, divergindo do edital do leilão. Além do valor corrigido pago pelo carro, calculados por ele em R$ 26,1 mil, o consumidor pedia o valor de R$ 20 mil por danos morais.

Para o juiz, restou comprovado que o consumidor foi induzido a erro pelo banco, porque comprou um automóvel acreditando que não havia nenhuma restrição, mas descobriu em seguida que o veículo já tinha sofrido sinistro e foi recuperado. “Não há dúvidas de que a parte autora suportou danos em razão da compra de um veículo, sem que lhe fosse prestada qualquer informação, de que se tratava de bem recuperado em razão de sinistro”, afirma.

O juiz ressalta que o Código de Defesa do Consumidor disciplina que o fornecedor é a parte “mais forte” na relação de consumo e deve atuar “com lealdade e probidade, seguindo os parâmetros ditados pela boa-fé objetiva”.  Além disso, reforça o magistrado, o banco tinha o dever de informar que se tratava de veículo sinistrado e recuperado e não pode “alegar a ignorância sobre os vícios apresentados”.

Por entender que está demonstrada a responsabilidade do banco pelo vício do produto, o juiz também rescinde o contrato entre as partes e determina a devolução do veículo ao banco, que também terá que pagar as custas processuais e taxas judiciárias, além de honorários advocatícios fixados em 10% sobre o valor da condenação.

O juiz não acolheu o pedido de indenização por danos morais feito pelo consumidor. Para o magistrado, a frustração do negócio, embora possa ter “acarretado desconforto ao autor” e alterado seu cotidiano “não trouxe maiores aborrecimentos do que aqueles a que todos estão sujeitos nas relações interpessoais provenientes da vida em sociedade, principalmente porque não se viu privado do uso do bem”.

Confira a sentença.

Fonte: Tribunal de Justiça-TO

ATENÇÃO!

Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.

Em Destaque

Prefeitura de Tocantinópolis Não Adere ao Feriado Municipal do 'Dia da Consciência Negra'

Foto da notícia

Data: 17/11/2017 13:09:31 - Visualizações: 174

Notícias Relacionadas

17/11/2017
Plano de Saúde Indenizará Paciente Por Não Pagar Material Para Cirurgia de Joelho

17/11/2017
Polícia Civil Prende Suspeito Por Receptação de Baterias e Furto de Energia Elétrica em Palmas

17/11/2017
Semana da Justiça Pela Paz em Casa: Vara Especializada no Combate a Violência Contra a Mulher de Araguaína Promove Ações

17/11/2017
Novembro Azul - DPE Alerta Para a Quantidade de Pacientes à Espera de Cirurgia Urológica no Estado

17/11/2017
Deputada Dorinha Acompanha Processo de Retomada do Luz Para Todos

17/11/2017
Em Araguaína, DPE Participa de Projeto em Escolas Sobre Diversidade Racial e Consciência Negra

Todas as Notícias