Defensoria Consegue na Justiça que Estado Providencie Cirurgia Para Bebê com Cardiopatia

Data do post: 05/06/2018 18:28:02 - Visualizações: (339)    Imprimir

Diagnosticado com cardiopatia congênita complexa desde os 11 dias de vida, um bebê recém-nascido foi transferido do Hospital Maternidade Dona Regina (HMDR), em Palmas, para um hospital em Goiânia (GO) a fim de que possa ser submetido à cirurgia cardíaca pediátrica que necessita.

Defensoria Pública-TOA providência para o atendimento ao bebê foi tomada pelo governo do Tocantins após ação da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) na Justiça para garantir o atendimento.

O Tratamento Fora de Domicílio (TFD) foi possível depois de determinação judicial para que o Estado providenciasse, com urgência, uma vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal para o assistido. A decisão é do último dia 29 e considerava o prazo de 24 horas para atendimento.

No último sábado, 2, considerando que o Estado ainda não havia cumprido a decisão pela transferência do bebê, bem como a realização da cirurgia em outra unidade da federação, a Justiça determinou o bloqueio de valores nas contas do Estado para garantir o recurso necessário ao cumprimento da liminar. Nesta segunda-feira, 4, o bebê foi transferido, conforme informações obtidas no HMDR.

Urgência

Filho de lavradores, o bebê assistido nesse processo nasceu no último dia 18, no Hospital Dona Regina. Em casos de urgência, como o dele, a Justiça tem determinado, quando provocada, que haja a transferência para hospital em outro Estado e que seja disponibilizado o tratamento integral para o bebê, incluindo vaga na UTI neonatal para estabilização do quadro clínico, a realização de cirurgia, o transporte em UTI aérea, bem como medicamentos, exames e procedimentos necessários, conforme prescrição médica.

Cardiopatia

Somente neste ano, quatro bebês com cardiopatia, pacientes no Tocantins e assistidos da DPE/TO, morreram à espera da cirurgia. Conforme informações da Central de Atendimento em Saúde (CAS) da DPE/TO, nesses quatro casos havia decisão judicial para que o Estado providenciasse o atendimento, promovendo a transferência dos pacientes para outra unidade da Federação e assumindo os custos com os procedimentos cirúrgicos.

Serviço no Estado

No último dia 18, a Justiça atendeu a DPE-TO e o Ministério Público Estadual (MPE) e, com isso, determinou que o governo do Estado, em um prazo de 12 meses, organize o serviço de assistência às crianças com quadro de cardiopatia congênita, e passe a prestá-lo diretamente, devendo adquirir os materiais necessários e treinar equipes para a realização das cirurgias cardíacas pediátricas.

O Poder Judiciário também estabeleceu um prazo de 90 dias para que o Poder Público Estadual apresente um projeto de reorganização do serviço.

Fonte: Defensoria Pública-TO

ATENÇÃO!

Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.

Em Destaque

Em Luzinópolis, Vereadores Anulam Eleição Recente Para Eleger Outro Presidente

Foto da notícia

Data: 14/12/2018 04:23:03 - Visualizações: 1432

Notícias Relacionadas

16/12/2018
Em Menos de 24 Horas, Polícia Civil Prende Suspeitos de Explosão de Caixa Eletrônico em Abreulândia

16/12/2018
Agente de Polícia Civil é homenageado Pela Câmara de Vereadores de Dianópolis

16/12/2018
Integrantes da Secretaria da Segurança Participam de Reunião com MPE Sobre Lei da Escuta Protegida

16/12/2018
Com 96,3%, as Contas da Diretoria do SISEPE-TO São Aprovadas Pelos Sindicalizados

15/12/2018
Polícia Civil Prende Suspeito de Roubo e Ameaça no Interior do Estado

14/12/2018
Deputados Prestigiam Posse do Procurador-geral de Justiça no MPE

Todas as Notícias