Estado Deve Indenizar Mãe de Recém-nascida que Morreu à Espera de Cirurgia Cardíaca

Data do post: 11/06/2018 18:19:21 - Visualizações: (321)    Imprimir

A Justiça condenou o Estado do Tocantins a indenizar, em R$ 100 mil, a mãe de um  bebê recém-nascido que morreu devido a falta de cirurgia de urgência no coração. A decisão é da juíza Ana Paula Araújo Aires Toribio, da 1ª Escrivania Cível de Palmeirópolis.

Tribunal de Justiça-TOEm julho de 2017, a recém-nascida nasceu no Hospital de Referência de Gurupi com Síndrome do Coração Esquerdo Hipoplásico (quando as estruturas do lado esquerdo do coração são pequenas e pouco desenvolvidas para fornecer o fluxo de sangue suficiente para as necessidades do corpo) e precisava urgentemente passar por um procedimento cirúrgico que não é realizado no Estado, além de cuidados específicos em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Na época, a família conseguiu na Justiça a determinação para o Estado realizar a cirurgia cardíaca e transferir o bebê para a UTI Neonatal do Hospital Dona Regina, em Palmas, já que em Gurupi não havia vagas. Apesar da ordem judicial, o Estado só cumpriu parte da decisão e não providenciou o procedimento cirúrgico. A menor morreu no dia seis de agosto.

Ao julgar o caso, a magistrada considerou que, “ainda que não haja evidência incontroversa de que determinada omissão seja a causa direta e exclusiva do resultado lesivo, é possível dizer que ela contribuiu substancialmente para a redução da possibilidade de se evitar o dano, o que é suficiente para acionar os mecanismos jurídicos indenizatórios, especialmente na seara do dano moral”. "A conduta omissiva do Estado caracteriza grave desrespeito à dignidade da pessoa humana, enquanto princípio fundamental assegurado pela Constituição Federal (artigo 1º, inciso III), forçoso reconhecer a responsabilidade civil do Estado, na hipótese vertente, nos termos do art. 37, parágrafo 6º, da Constituição Federal, com o viés da responsabilidade subjetiva, por ato omissivo e que a autora faz jus à indenização por dano moral postulada”, concluiu.

A mãe do bebê será indenizada em R$ 100 mil, sendo que o valor da condenação deverá ser acrescido de correção monetária, a partir da publicação da sentença, e juros moratórios a partir do evento danoso (data do falecimento da menor).

Confira aqui a sentença.

Fonte: Tribunal de Justiça-TO

ATENÇÃO!

Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.

Em Destaque

Esquema Fraudulento de Nomeação de Concursados na Prefeitura de Porto Franco Pode Levar a Quase 100 Exonerações

Foto da notícia

Data: 22/02/2019 19:23:16 - Visualizações: 5905

Notícias Relacionadas

22/02/2019
Laticínio Clandestino é Interditado na Zona Rural de Pequizeiro

22/02/2019
Integração de Países do Mercosul é Destacada em Encontro da União de Parlamentares Sul-Americanos

22/02/2019
Polícia Civil Prende Suspeito de Homicídio de Professor na Região Sul da Capital

22/02/2019
Durante Assembleia da UPM, Vanda Monteiro Propõe Criação da Comissão da Mulher

22/02/2019
Abastecimento Começa a Ser Restabelecido no Município de Fátima

22/02/2019
DPE-TO Requerem Esclarecimentos da Seciju Sobre Morte de Detento na CPP

Todas as Notícias