Cobrança Indevida de Impostos: Município de Gurupi Terá que Indenizar Cidadã em R$ 10 Mil

Data do post: 04/07/2018 14:18:25 - Visualizações: (120)    Imprimir

Cidadã de Gurupi vai receber da Prefeitura Municipal R$ 10 mil, a título de danos morais, pela cobrança indevida de impostos de lotes que não lhe pertencem.

Tribunal de Justiça-TOA decisão foi proferida nesta terça-feira (03/07), pelo juiz Nassib Cleto Mamud, da 1ª Vara de Feitos da Fazenda e Registros Públicos de Gurupi.

Consta nos autos que Anisa de Almeida Cardoso recebeu em 2007, como herança de seu pai, 19 lotes localizados em Gurupi. Os imóveis foram cadastrados junto à Prefeitura, que a inscreveu como titular de outros 72 outros terrenos, sendo que estes jamais foram dela. Além da inclusão indevida, o Município realizou a cobrança dos impostos desses lotes e promoveu ações de execuções fiscais contra a autora da ação. O nome dela foi, inclusive, inserido na Dívida Ativa. Desde 2008, Anisa tentava resolver o problema por vias administrativas, mas todo ano a prefeitura volta a incluir seus dados como proprietária dos lotes em questão.

Ao julgar o caso, o magistrado ponderou que o próprio Município de Gurupi admite ter ocorrido um erro na identificação do responsável pela obrigação tributária dos lotes. “Além disso, de acordo com o art. 34 do Código Tributário Nacional, o contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor a qualquer título; restou claramente comprovado que a Requerente não configura em nenhuma dessas hipóteses em relação aos lotes, portanto é incabível que o Município de Gurupi-TO continue cobrando os impostos de propriedades que jamais esteve sob o seu domínio”, destacou.

O juiz determinou à Prefeitura que se abstenha de cobrar da requerente os impostos referentes às propriedades e, consequentemente, exclua seu nome do Cadastro de Divida Ativa. Também condenou o Executivo Municipal ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil, acrescidos de juros de 0,5% ao mês, a partir da data correspondente ao ajuizamento da primeira ação de execução fiscal (23/04/2012).

Confira aqui a decisão.

Fonte: Tribunal de Justiça-TO

ATENÇÃO!

Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.

Em Destaque

Vândalos São Presos Após Cortar Palmeiras Plantadas na Rua XV de Novembro em Tocantinópolis

Foto da notícia

Data: 15/09/2018 11:23:48 - Visualizações: 7885

Notícias Relacionadas

17/09/2018
Alvará Judicial Eletrônico: Varas da Fazenda Passam a Emitir Documento

17/09/2018
Luana Ribeiro Participa da Aula Inaugural do Curso de Formação do Sistema Penitenciário

17/09/2018
SENAR Realiza Curso NR12 - Máquinas e Implementos Para Duas Turmas em Mateiros

17/09/2018
Indígenas Xerente Recebem Projeto Bombeiros em Ação

17/09/2018
Polícia Civil Realiza “Operação Labéu” e Prende Acusados de Participar de Homicídio Familiar

17/09/2018
Carlesse Fortalece Projetos de Irrigação São João e Manuel Alves com Investimentos de Mais de R$ 12 Milhões

Todas as Notícias